27 maio 2011

preocupações de uma espertalhuça

Mais logo mostro-vos o resultado da tal sessão na biblioteca, mas por agora quero aqui registar a conversa resultado da preocupação da M. nesta manhã, a caminho da escola.



- Será que uma estrela morreria se viesse para a Terra?
- A Terra é que não ficaria em muito bom estado se isso acontecesse. - disse-lhe eu.
E depois tive de lhe falar mais uma vez nas dimensões das estrelas em relação ao nosso planeta. Apesar de já várias vezes termos falado disso, acho que ela ainda oscila entre os conhecimentos científicos que já vai tendo e a sua fértil imaginação que idealiza um universo de sonho. Como se por se verem tão pequeninas, as estrelas à noite, se pudessem ter numa caixinha guardadas. E sendo assim tão pequenas, tão aparentemente frágeis, será que resistiriam à viagem e consequente chegada à Terra?



A propósito, lembro-me de ter achado há muito neste blog educativo, um post exactamente sobre o tema das dimensões relativas no universo, de onde tirei as imagens que aqui vos trago.

2 comentários:

Juliana disse...

Olá APO!
Achei tão bonitinho sua filha se preocupar com as estrelas. A ingenuidade das crianças nos enternece muito.
Quando eu tinha a idade da M. tinha grande fascinação por astronomia e vivia perguntando sobre estrelas e planetas para meus pais e outros adultos. Na pequena cidade natal de minha mãe tem o maior observatorio astrofísico do Brasil (ou da América Latina) e sempre ouvi promessas de um dia me levarem lá para uma visita. Pena que nunca foram cumpridas.
Beijinhos e um ótim fim de semana!

Angela disse...

Ah! Que questão fantástica da M.! Reveladora de uma mente que reflecte, que procura saber e que se preocupa com o os outros à sua volta (mesmo que apareçam animizados pelas as "pequenas estrelas" que brilham na noite!
A L. ontem, como quase sempre, não queria que o Sol fosse para "o outro lado do planeta Terra" (a L. prefere o dia, claramente)...e depois com a sua ingenuidade disse: - mamã, quero pedir ao sol que fique! Quero fazer-lhe uma festinha!
Ah, mundo mágico este, os das crianças!
Enquanto adultos parece-me que devemos dizer-lhe a realidade científica dos factos pois mesmo assim dentro deles haverá sempre espaço para imaginar, personalizar, animizar e para que os seus pequenos corações como o da M. e da L. se preocupem com coisas tão grandes e imensas como as estrelas!
Felizes de nós, que temos o privilégio de ter umas filhas tão "espertalhuças" e sensíveis ;)
Beijo grande,
Angela (GaláxiaInfância)

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin