30 outubro 2009

humor amargo

bitter humor

Estou a ler "Olhos nos Olhos" de Júlio Machado Vaz, livro de "histórias de sexo e vida", como o próprio autor o descreve. Gosto bastante do estilo do Júlio, apesar da sua escrita sobre adjectivada por vezes não se compadecer com alguém que apenas consegue ler cinco minutos já com um olho meio aberto e o outro meio fechado, à noite, antes de dormir, e faça com que tenha constantemente que voltar atrás para reler a frase e não lhe perder o fio à meada. Não lhe atribuo a culpa, mas sim ao meu sono a essa altura do dia. Gosto muito do sentido de humor com que impregna os seus textos assim como o seu habitual discurso.
Mas com a leitura de um destes contos, tropecei nesta frase que me fez parar para reflectir:
"As mulheres com senso de humor afiado costumam tornar-se azedas com o passar dos anos (...)". Será? Lembro-me, em pequena, de ser conhecida por ter um senso crítico e de humor aguçados. É um facto que por vezes fico amarga, e uso da ironia para caricaturar algumas situações que me revoltam. O Júlio, no livro, desvia o assunto e não conclui o porquê, segundo ele, desta constatação. Desafio-vos a reflectir comigo sobre este tema e digam-me as vossas opiniões, pode ser? Obrigada!
Será esse "aguçamento" sinal de que se é mais atento, observador da realidade que nos rodeia? E será esse um atestado de inevitável "amargura" com o decorrer dos anos? Será que constatamos que não há grande esperança na humanidade e isso nos aterroriza transformando esse terror em amargura? Terá aqui algo de anti-social? Eu acho sinceramente que a humanidade está a mudar, em todos os sentidos (mentalidades, comportamentos, percepções...). Mas às vezes sinto-me amarga... e não gosto.
Fico então à espera das vossas opiniões.
I am reading "Olhos nos Olhos" (Eye to Eye) by Júlio Machado Vaz, a book of "stories of sex and life," as the author himself describes it. I really like the style of Júlio, despite the way it is written with so many adjectives that sometimes do not sympathize with someone who can only read five minutes with one eye half open and the other half closed, at night, before going to sleep, and have to go back to reread the sentence and not to lose the thread. I do not blame him, but I blame my sleep at this time of day. I love the sense of humor that pervades his writings as well as his usual speech.
But with the reading of these stories, I stumbled on this phrase that made me pause for think:
"Women with sharp sense of humor tend to become bitter over the years (...)". Really? I remember, when I was little, to be known for having a critical and sharp sense of humor. It is a fact that sometimes I'm bitter, and use of irony to caricature some situations that I don't like. In the book, Júlio deviates from the subject and does not conclude why he said this. I challenge you to reflect with me on this sibject and tell me your opinion, OK? Thanks!
Is this "sharpness" a sign that one is more attentive, observer of the reality around us? And is that a certificate of inevitable "bitterness" over the course of the years? Will we see that there isn't great hope in humanity and that terrifies us turning this terror in bitterness? Is here something anti-social? I sincerely think that humanity is changing in every way (attitudes, behaviors, perceptions...). But sometimes I feel bitter... and do not like it.
So, I am waiting for your opinion.

9 comentários:

artes_romao disse...

boa noite,td bem?
mas que belos all-stars...
para uma verdadeira princesa...heeh
gostei imenso da tua partilha, de leitura.
ainda nunca li nada dessa escritor, mas concordo absolutamente contigo.
cada vez estamos mais observadores e aterrorizados do nosso futuro...
em vários campos(ambiente, mentalidades,....)
e isso faz muito a mudança de humor, podes crer....
bom fdsemana,fiquem bem.
jinhos***

Eunice Martins♥ disse...

OLÁ MINHA QUERIDA...

Obrigado não é bem a palavra que eu queria lhe dizer.
Eu queria poder encontrar outra forma de lhe falar
o quanto você foi e é importante para mim
e um simples Obrigado não possibilitaria isso.
Um dia eu vi a tristeza chegar de mansinho,
o vento bater na janela, a chuva cair no telhado...
e eu tive medo!
Parecia que tudo a minha volta estava errado,
que o mundo estava virado,
eu não tinha mais aquela alegria de viver,
que geralmente percebemos nos olhos das crianças.
Então, eu te encontrei...
e foi tão estranho porque você sempre esteve ali...
mas só então eu te senti e melhorei.
O sorriso aos poucos foi ficando nos meus lábios,
cada vez que eu te tinha do meu lado.
Hoje eu sei que não importa o tamanho da tragédia,
se você tem um amigo.
E amigo não é só aquele que mora na outra casa,
que você conheceu no trabalho, na escola.
Amigo também é aquele que você tanto ama,
seu namorado ou namorada,
sua mãe, seu pai, avô...
amigo, pra mim, é você!
DESEJO UM FIM DE SEMANA MARAVILHOSO..
E UM BOM HALLOWEEN.
BEIJOS COM CARINHO.

Ana Rodrigues disse...

Olá!
Subscrevo... isso mesmo...
Estamos a perder a n/ "humanidade"!
Repara que quem é mais atento... mais sensivel... c/ capacidade p/ olhar mais além de... vai-se tornando amargo/realista...
É só ouvir as noticias... é só ler um jornal (dignos de confiança)... que temos de ficar aterrorizados!
Estamos num túnel sem saida... e temos a consciência que o seu fim ñ será bom (por mais que o desejemos)
As tuas perguntas... são p/ mim afirmações!
Mas como a esperança é a última a morrer... agarro-me a esse fiozinho... p/ tornar a realidade mais leve...
Bjs e boa semana

mfc disse...

Humor amargo, mas acertado!

Faniquito disse...

Oii minha querida !!!

Entendi muito bem o que vc "disse", mas não sei bem se é amargura.Acho que é mesmo a exata noção da realidade: de que as coisas não são do jeito que queremos e que mesmo assim temos que engolir e caminhar...e isso é muito difícil.

Mas busca o humor, mesmo que as vezes seja meio ácido, não dá prá levar a vida tão a fundo, senão a gente não aguenta.

Ahhh...eu vi a M de bruxinha...Liiinda e amei os "fantasminhas" do quarto..que must!!! Ia comentar lá, mas qdo vi que o assunto aqui era a sério, vim falar contigo pessoalmente.

Beijinhos e um abraço forteeee...vamos já melhorar esse animo senão tu "cai".

Ana

Porcelain Doll disse...

Sabes que até gosto de ouvir de vez em quando o Júlio Machado Vaz, mas apesar de achar a sua mente bastante aberta para a geração de que provém, acho-o muitas vezes confuso, mesmo em termos de ideias, não só das palavras e da forma como as exprime, umas vezes demonstrando grande abertura, outras vezes emitindo ideias bastante preconceituosas que parecem dignas do avô dele... :P A minha mãe adora-o, acho que também tem para ali uns quantos livros dele... entretanto, eu já não tolero assim tão bem; isso das mulheres amargas com a idade... o que é que ele quer dizer com amarga?? E por que é que se refere às mulheres e não aos homens?? Lá está: a velha ideia (muito velha mesmo!!) da mulher amarga e frustrada... ouve, isso nos dias que correm já nem existe no seu estado puro, de tão complexa é a nossa sociedade actual ahahah!! Linda, pessoalmente não acho que eu mesma tenha sequer sentido de humor, mas gosto imenso de dizer disparates e digo-os a toda a hora mal estou um pouco mais bem disposta; não sou amarga, francamente nem sei bem o que isso é, parece-me um estereótipo descabido e absolutamente ultrapassado... amarga!! Só quem for estúpido ou burro ou cego de todo é que não sente "amargura", se ele lhe quiser chamar assim, quando se vêm certas coisas!! Não, não sou amarga, sabes? Sou doce como o mel, quando me apetece, mas sou muito crítica, sempre fui, não por uma questão de me afirmar ou superiorizar, mas porque sinto este mundo como demasiado restritivo para mim, como se eu lá não coubesse, resta-me poder falar, desabafar, ripostar pela estupidez e falta de consciência do ser humano!! Não é que eu detenha a verdade absoluta, mas acho que tenho direito ao meu espaço e vejo-o muitas vezes negado... se isso é ser amarga... o Sr.Júlio Machado Vaz lá saberá... eu acho é que ele caminha a passos largos para uma jarretice disfarçada de liberalismo e despreconceito... acho que tem algumas ideias muito interessantes, mas tudo o que ele diz e escreve tem de ser passado por um coador... e que coador, porque ele fala mesmo como alguém inteligente e é alguém inteligente, mas com algumas ideias completamente fora de todos os parâmetros acerca das expectativas que ele cria nas pessoas; sabes que ele próprio admite que tem ideias absolutamente ultrapassadas e se sente de certa forma prisioneiro delas... quando a minha mãe disse que ele admitia isso, eu fiquei logo mais descansada: ok, não sou eu que estou a delirar!!

A amargura é como tudo o resto: faz parte!! E se faz parte é porque faz falta!! Se não gostas de te sentir amarga e te sentes de vez em quando, então é, nesses momentos, visualizares um STOP e perguntares, como é que eu poderia fazer para ser mais doce e correcta neste mesmo momento? Sabes eu faço isso algumas vezes, mas desisti em muitos contextos, porque logo a seguir vem alguém que não percebe essa tua benevolência, doçura e coisas assim e passa-te por cima tipo tractor... e lá se vai a candura amiga... :P Deixemo-nos de hipocrisias, sabes? Cada ser humano tem as suas especificidades e a grande arte é saberes como e quando te irritar ou dizer algo mais "amargo"... porque isso também faz falta. E o Sr.Júlio Machado Vaz que se liberte dos preconceitos que interiorizou quando era jovem!! Ele disfarça bem, mas quem sabe de preconceitos sente-os por baixo das afirmações aparentemente liberais dele!!

Essa ideia de que a mulher tem de ser cândida e doce vem do tempo em que os gaijos queriam mas era controlá-las... (nop, não é feminismo, se há mulher que dá razão aos homens em muita coisa sou mesmo eu!!) Se queremos mostrar quem manda, de vez em quanto, temos mesmo de pôr os pontos nos is!! E temos também direito a manifestar-nos contra o que não concordamos!... O que é diferente de se ser descrente da vida e de viver sem esperança... :)

Pelo contrário; quem não se sente não é filho de boa gente e sem uma boa dose de rebeldia transformamo-nos numas songas mongas abulantes, pleaaaseee!! Isso é coisa de quem não quer que as gaijas abram os olhos!! :D

Beijos, amiga! xD

Porcelain Doll disse...

Ok, mamy está aqui a dizer que não o adora, que simplesmente respeita as ideias dele e acha algumas interessantes, mas também lhe reconhece esses preconceitos; já me tem dito que ele é o primeiro a reconhecer essas ideias e a tentar lutar contra elas, e que até o chamam feminista e gay... :P Mas sente-se... está lá, de baixo, ele tem cnsciência, ele tenta controlar, mas não é capaz... :S Beijoo!!

APO (Bem-Trapilho) disse...

Aí mulher!... :) Falou e disse! Muito bem... e concordo!
bjokas doces para filha e mãe! :)

Anónimo disse...

This is a topic that is close to my heart... Best wishes!

Exactly where are your contact details though?

my website :: best cellulite treatment

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin