13 maio 2012

filho da chuva


A Mãe Que Chovia de José Luís Peixoto, dos textos mais bonitos que já me passaram pelas mãos.
Primeira incursão do autor pela literatura infantil. Quanto a mim, não poderia ter começado melhor. Espero que não fique por aqui.
A poesia nas palavras estende-se às ilustrações de Daniel Silvestre da Silva, resultando num casamento perfeito. (A apresentação em vídeo: aqui.)
 




Teria dado um belíssimo presente de Dia da Mãe. Pena ter tropeçado nele com uns dias de atraso. :| Senão tê-lo-ia oferecido a mim própria ou teria dado uma discreta dica à princesa mais velhinha.
Quero-o para a biblioteca das minhas meninas. É com obras como esta que se formam mentes ricas em imaginação e sensibilidade.
Querem um exemplo?
No final do terceiro ano da M., em conversa com a sua professora, comentou-me uma composição da minha pequena. Disse-me que o tema proposto tinha sido a palavra "tesouro". Ao que a minha princesa correspondeu com uma dissertação acerca dos três tipos de tesouro que ela conhecia: 1- o tesouros clássicos das histórias de piratas; 2- uma aventura ou experiência que nos traga muita satisfação; e 3- alguma pessoa ou animal de quem gostemos muito. :) Parece que foi a única criança a dar-lhe esta resposta. Todos os outros de limitaram, uns melhor, outros pior, a contar uma história que envolvesse piratas e a caça ao tesouro. Não, a minha filha não é particularmente precoce, nem mais inteligente que ninguém em particular. Apenas já ouviu e leu muitas histórias na sua, até agora, curta existência. Muitas falavam de sentimentos e de felicidade e de "coisas" que o dinheiro todo do mundo nunca conseguiria comprar. E o resultado, neste caso, foi uma percepção mais alargada e até poética da palavra "tesouro". Vale a pena cultivar um imaginário rico, nas nossas crianças. A imaginação é um dos nossos bens mais preciosos, um dos maiores "TESOUROS"!

6 comentários:

Magda E. disse...

Adorei este post. sou fã do peixoto e ando de olho neste novo livro. tb o quero cá por casa, estou mortinha para ver como se sai nesta nova faceta de literatura infantil. =)

Meus Netos...Minha Fortuna!!! disse...

Querida amiga
O tempo, mesmo quando este passa a correr...há sempre um bocadinho para recordar aqueles que gostamos muito. De ti lembro-me sempre com muito carinho.

A amizade não esquece, perdura através do tempo. Passei, para te deixar um abraço com muita ternura!
Vóvó Cassilda

xunandinha disse...

Querida amiga de pequenino é que se torce o pepino diz o ditado e com razão,se estão habituados a ler ou a ter contato com livros desde bebés é normal que gostem de ler ,escrever e sejam mais criativos,beijocas para as três

nanouke disse...

Confesso que não sou fã do Luís Peixoto, mas tenho a sorte de ser amiga do Daniel e as ilustrações dele merecem ser conhecidas ao público!
Beijinhos

O Sonho d@ Bubulet@ disse...

Sem qq dúvida que a leitura é um estimulante tesouro para a nossa imaginação, que por sua vez outro tesouro é.
A tua imagem como mãe é para mim um exemplo, sem qq dúvida.

Beijinhos grandes*

Paula disse...

Nunca li nenhum livro dele, mas pela amostra que aqui deixaste... :)
E tens toda a razão. A imaginação das crianças, deve ser alimentada por livros, para poder crescer e desenvolver-se!

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin